sexta-feira, 19 de junho de 2015

Bolo de Chocolate e Courgette


E a cereja no topo do bolo é...um bolo de chocolate, delicioso, fofo e húmido...sem gordura.
Já andava para experimentar esta receita há meses, até que me chegaram a casa quilos de courgettes vindas da Sertã e decidi que era a altura de, finalmente, por mãos à obra. Calma, não são precisos quilos de courgettes para fazer este bolo, uma ou duas (dependendo do tamanho) chegam. O resultado é um bolo de chocolate excelente, sem margarina ou óleos, mas com uma consistência fofa. Quem provou não adivinhou o ingrediente secreto e ficou agradavelmente surpreendido com o resultado final. Experimentem porque vale muito a pena.

Ingredientes:
3 Ovos
1 Chávena de açúcar
1 Chávena de courgette ralada 
1 Chávena de farinha
70 gr. de Chocolate em pó
1 Colher de chá de fermento em pó
1 Colher de chá de bicarbonato de sódio
1 Colher de chá de essência de baunilha

Ingredientes Cobertura:
200 gr de Chocolate em barra
200 ml de Natas

Preparação Bolo:
Comece por ralar a courgette com casca e reserve. Junte a farinha, o chocolate, o bicarbonato e o fermento e reserve também. Bata os ovos com o açúcar e junte a essência de baunilha. Adicione metade da mistura da farinha com o chocolate e continue a bater levemente. Junte metade da courgette e a restante farinha batendo tudo de modo a que fique tudo bem misturado. Por esta altura o preparado já estará fofo, como se tivesse levado bastantes claras em castelo.
Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha e leve o bolo ao forno a 180º durante mais ou menos 40 minutos. Vá fazendo o teste do palito. Desenforme e regue com a cobertura. Enfeite com cerejas ou outro fruto vermelho a gosto.

Preparação Cobertura:
Derreta o chocolate em banho maria e junte as natas. Mexa bem até ter uma cobertura brilhante.

Nota: Eu fiz metade da massa em formas de queques e a restante numa pequena forma de bolo inglês. Se fizerem em formas de queques não se esqueçam que demoram substancialmente menos tempo no forno.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Mousse de Frutos Vermelhos, Banana e Chia


Continuando nas experiências, do leite de aveia que fiz a semana passada nasceu esta mousse de frutos vermelhos com banana e sementes de chia. Esta mousse foi uma experiência de pequeno almoço e que sobrou e que ficou para o lanche, mas penso que ligeiramente mais doce dará uma excelente sobremesa também. 
Sempre tive alguma dificuldade em tomar o pequeno almoço cedo, mas sabendo que essa é uma das condições para uma alimentação mais saudável, comecei a enganar o meu apetite matinal com batidos e agora com estes purés de fruta ou mousses de fruta com as mais variadas sementes e super-alimentos. Parece que o Verão está mesmo para ficar e assim sendo esta é uma óptima forma de começar um belo dia de sol. Um bom dia para todos.

Ingredientes:
1 Copo de leite de aveia
3 Colheres de sopa de sementes de chia
1 Mão cheia de frutos vermelhos congelados
1 Banana

Preparação:
Comece por hidratar as sementes de chia no leite. Deixe repousar por 20 minutos.
No liquidificador, junte as frutas e o leite com a chia. Liquidifique até que as frutas estejam bem desfeitas. Deite a mistura numa taça para comer de imediato ou coloque num frasco de vidro e reserve para comer mais tarde. Pode decorar com frutos vermelhos, aparas de chocolate ou côco ou ainda com granola. 

Nota: Eu fiz durante a noite e guardei no frigorífico até à manhã seguinte. Fica uma delícia bem fresquinho e como as sementes de chia ainda hidratam mais, fica com uma consistência mais cremosa.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Leite de Aveia


Os benefícios do consumo de leite de vaca por adultos deixaram de ser consensuais entre os especialistas. Se por um lado há dados científicos que comprovam que o leite de vaca é um alimento completo com nutrientes essências e que dificilmente encontraremos noutros alimentos, por outro lado há também dados que comprovam alguns malefícios associados ao consumo deste produto. Acredito que como em tudo, deve haver moderação e não devemos ser drásticos nas mudanças na nossa alimentação diária.
Depois de ter passado uma vida inteira a beber leite de vaca diariamente e a achar que estava a fazer um bem à minha saúde comecei a ler estes estudos e a ser aconselhada pela minha médica a reduzir o consumo de leite devido a alguns pequenos problemas gástricos. Resolvi, então, mudar de hábitos e experimentar coisas novas. Aos poucos fui reduzindo a quantidade de leite de vaca e comecei a introduzir outras alternativas, como o leite de soja, de arroz, de aveia e de amêndoa e tem corrido bem. Confesso que não bebo nenhum destes leites como bebia o leite de vaca, a acabar de sair do pacote, fresco e simples. Uso-os em batidos, em papas de aveia, em sobremesas e em mousses e adoro. A grande desvantagem destes leites é o preço que continua a ser muito elevado em relação ao leite de vaca, daí esta experiência em fazer o meu próprio leite de aveia que diga-se, correu mesmo muito bem.
Nesta receita utilizei 2 figos secos para adoçar e dar mais algum sabor ao leite. Podem substituir os figos por tâmaras secas, por exemplo ou juntar umas gotas de essência de baunilha.

Ingredientes:
150 gr. de flocos de aveia
1 litro de água
2 figos secos

Preparação:
Comece por cortar os figos em quatro e coloque-os dentro de um recipiente de vidro. Junte a aveia e de seguida a água. Misture tudo e leve ao frigorífico pelo menos durante 4 ou 5 horas (eu deixei uma noite inteira).
Depois deste tempo de molho, leve tudo ao liquidificador durante uns segundos. Passe a mistura num passador fino para retirar apenas o leite. Volte a passar pelo passador uma segunda vez e armazene o leite numa garrafa de vidro. Este leite dura 3 dias no frigorífico. E voilá, está pronto para fazer deliciosas sobremesas, batidos, papas de aveia...

Nota: Agite bem antes de consumir

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Enrolados de Canela


Hoje deixo-vos uma receita facílima e versátil onde podem utilizar os ingredientes para o recheio que mais vos agradarem. Desta vez utilizei canela, mas podem utilizar chocolate, morangos ou outro ingrediente que gostem. Esta é uma receita que já vi muitas vezes em diversos blogs de culinária e que costumo fazer, mas já não sei muito bem onde fui buscar a receita. São óptimos para um lanche de fim de semana.

Ingredientes para a Massa:
300 gr. de Farinha
1 Saqueta de fermento de Padeiro em pó
2 Colheres de sopa de açúcar amarelo
125 ml. de Leite
60 gr. de Manteiga derretida
1 Pitada de sal

Ingredientes para o Recheio:
60 gr de Manteiga
60 gr de Açúcar
2 Colheres de chá de canela


Ingredientes para Pincelar:
50 ml. de Leite morno
2 Colheres de Açúcar

Preparação:
Se fizer a massa na máquina do pão já sabe que tem de adicionar primeiro os líquidos e depois os sólidos. Seleccione o programa de massa e aguarde até terminar.
Se não tiver máquina de fazer pão, não há qualquer problema. Comece por juntar o leite morno, o açúcar, o sal e o fermento numa tigela e aguarde uns minutos. Adicione o ovo previamente batido e a manteiga já derretida. Junte este preparado à farinha e amasse bem até formar uma bola. Se a massa estiver muito mole e a agarrar-se demasiado às mãos junte um pouco mais de farinha. Tape a massa com um pano e deixe levedar até duplicar o tamanho, o que deverá acontecer em mais ou menos uma hora.
Prepare o recheio derretendo a manteiga num tacho juntamente com o açúcar e a canela. Reserve.
Depois de terminado o programa na máquina do pão ou depois da massa ter duplicado o seu volume, se a amassou à mão passe-a para a bancada da cozinha, previamente polvilhada com farinha. Amasse um pouco a massa com as mãos e de seguida estenda-a com o rolo da massa de modo a fazer um rectângulo mais ou menos com 1 cm de altura. Espalhe o receio por cima da massa e enrole-a como se estivesse a enrolar uma torta. De seguida corte a massa em 9 porções iguais. Coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal dispondo a massa lado a lado com o corte virado para cima. Deixe levedar por mais 20 minutos com um pano por cima. Antes de levar ao forno pincele os enrolados com o leite morno com o açúcar. Deixe cozer durante mais ou menos 20 minutos a 180º.
Sirva os enrolados mornos.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Banana Pops


O que é que a banana tem? A banana tem 3 açúcares naturais (frutose, sacarose e glicose) que associados à quantidade de fibra que possui se torna numa pequena bomba de energia. Rica em magnésio, torna-se eficaz para o corpo humano em vários processos biológicos, incluindo a contracção muscular. O magnésio é um importante mineral que evita as famosas cãibras musculares. Com alto teor em ferro, a banana estimula a produção da hemoglobina no sangue e ajuda nos casos de anemia.  Por tudo isto e muito mais é um dos alimentos preferidos dos atletas para um pré-treino completo e como aqui em casa estamos de volta aos treinos, hoje resolvi preparar este "docinho" que é uma verdadeira bomba de energia. Ginásio aqui vamos nós.

Ingredientes: 
(Para 2 pessoas)
1 Banana
Chocolate preto q.b.
Amendoins q.b.

Preparação:
Parta uma banana ao meio e espete um pau de espetadas em cada metade. Derreta o chocolate no micro-ondas e mergulhe metade da banana no chocolate derretido. Salpique com os amendoins previamente picados e leve ao congelador até solidificar o chocolate. Delicie-se com este snack 20 minutos antes de começar o treino.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Gelado de Natas com Bolacha Maria


Os "meus meninos" cresceram, já não são meninos e transformaram-se todos em grandes seres humanos. Cada um segue o seu caminho com a pressa normal de crescer. E que crescidos que eles estão. Esta é a sobremesa preferida deles e assim que me viram perguntaram por ela. É tão fácil adoçar-lhes a boca. Para acabar os dias de verão em beleza aqui fica a receita. Normalmente faço-a numa grande taça para que possam comer e deliciarem-se em doses desmedidas. 

Ingredientes:
3 Pacotes de natas
1 Lata de leite condensado
1 Pacote de bolacha Maria
Framboesas para decorar

Preparação:
Na picadora ou no processador reduza as bolachas Maria a pó e reserve.
Bata as natas em castelo firme e junte o leite condensado. Bata por mais uns segundos até estar tudo bem envolvido.
Faça camadas de bolacha e gelado alternadamente. Termine com o gelado e decore com framboesas ou outro fruto vermelho a gosto. Poderá também não utilizar os frutos e terminar com uma camada de pó de bolacha. Leve ao congelador por 4 horas ou mais. Retire do congelador apenas na hora de servir.


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Doce de Colher Com Amoras Silvestres


Quando era miúda, pelo menos, um mês das férias de Verão eram passadas no Norte, em casa dos meus avós. Os netos começavam a chegar, e o baloiço, feito sempre na mesma pernada da gigantesca nogueira do quintal, tomava o seu lugar. Os gatos bebés fugiam dos miúdos barulhentos que faziam de tudo para os pegar ao colo. As vacas iam para os lameiros durante a noite e ficavam na loja durante as horas de maior calor. A avó ensinava-nos a fazer bolos e queijo fresco, o avô ensinava-nos a tirar o leite às vacas e deixava-nos fazer umas passeatas no lombo do burro. Manter-nos entretidos não era difícil. Não havia video jogos, não havia cento e tal canais de tv, mas nós já nos contentávamos com os dois canais portugueses e com os dois espanhóis que conseguíamos ver por estarmos tão perto da fronteira. Durante o dia andávamos no campo, tomávamos banhos de mangueira e apanhávamos fruta que comíamos ainda quente debaixo das árvores. Este ano, e como sempre, num dos passeios de fim de dia até a um dos terrenos da minha avó apanhámos amoras, que fomos comendo ao longo do caminho. As que sobraram foram para fazer este doce.

Ingredientes:

200 ml de Natas
300 ml de Leite
3 Gemas
100 gr. de Açúcar
40 gr. de Amido de milho (Maizena)
Casca de limão
Amoras Silvestres q.b.

Preparação:
Misture o açúcar com o amido de milho, um pouco de leite e as gemas e reserve.
Misture o restante leite com as natas e a casca de limão, num tacho, e leve ao lume até ferver.
Verta sobre a primeira mistura, mexendo bem. Leve de novo ao lume, mexendo sempre até levantar fervura e engrossar.
Retire do lume e coloque o creme numa taça de servir ou em taças individuais. Eu optei pelas antigas travessas de metal pintado da minha avó. Deixe arrefecer e cubra com as amoras silvestres. Sirva bem fresco.